sábado, 10 de dezembro de 2011

Alisamento e bases químicas

Boa noite inferno! =D



Estive meio parado com o blog, mas me surpreendi ao ver o número de visualizações e achei que devi algo novo e elaborada aos leitores, leitoras e leiteros.

Estava com várias idéias de postagens, mas resolvi fazer o seguinte, vou começar pelo básico. Tive vontade de falar sobre escovas progressivas e inteligentes, desolorações, ativos de produtos químicos, etc. Mas resolvi fazer uma série de postagens explicando o básico e como tais químicas agem, dessa forma fica mais fácil falar de ativos, manutenção, tratamentos e novidades em postagens futuras.

Na postagem de hoje vou falar sobre alisamento.

Como todos sabem, ter cabelo liso é quase uma regra imposta. O bonito é o cabelo liso, certo? Errado! Sou fã incondicional de cachos e volume. Por outro lado a pessoa deve usar o cabelo como se sente melhor, seja liso, cacheado, ondulado ou careca. Enfim, não tô aqui pra falar sobre isso, mas sobre alisamento.

Quando se fala alisamento, se fala de ALISAMENTO DEFINITIVO, não entra aí escova progressiva-inteligente. No máximo se pode falar de escova definitiva, na qual se usa creme alisante, mas vou falar sobre ela em outra postagem.

Existem no mercado vários tipos de alisante, com o mais diversos ativos. Todos agem mais ou menos da mesma forma, quebrando ligações, amolecendo a queratina e permitindo que se molde o cabelo da maneira que você deseje - LISO. É, eles "permitem" que vc molde como você deseja, mas só é usado pra alisar, haha.

O alisante é usado basicamente no alisamento e no relaxamento. Enquanto alisamento alisa (OH!), o relaxamento apenas diminui o volume, abre cachos ou cria ondas largas. A diferença do processo está basicamente na técnica - o alisamento requer um penteado mais forte e maior pressão, enquannto o relaxamento é mais suave. O tempo de ação do produto também é diminuído pela metade. Vale lembrar que relaxamento e amaciamento é a MESMA COISA. Embora amaciamento seja um termo que tenha caído em desuso... talvez pq a última coisa que um creme alisante faça, seja deixar seu cabelo macio. Mas enfim... explicada a diferença entre as técnicas, vamos ao que interessa!

O modo como alisante age, depende da base química usada no produto. Podemos citar duas categorias: os alisanete a base de tioglicolato de amônia e alisantes a base de sair metálicos. Há também quem use uma receita de sabão com melancia pra alisar, rola aí na internet, mas é complexo demais pra mim.

O alisamento com tioglicolato de amônio é o mais usado, portanto vou começar por ele. Consiste numa mistura de ácido tioglicólico com hidróxido de amônia (quem diria?), proporciona um processo mais brando e menos agressivo que os produtos a base de sais metálicos.

Funciona da seguinte forma: aplica-se o produto com tioglicolato e dá uma pausa que vai de 10 a 45 min, dependendo da resistência do fio. O tempo é determinado no teste de mecha. Nessa pausa ocorre a quebra das pontes de cistina (são as ligações fortes do fio) entre as fibras do cabelo. Isso torna o cabelo mais maleável, permitindo que seja alisado. No processo de alisamento, deve-se ficar penteando o cabelo. Bom senso não mata ninguém - não fiquem penteando com o produto no cabelo o tempo inteiro, se o fizer é claro que o cabelo vai esmigalhar. Basta pentear quando aplicar o produto, mais um vez pra realinhar e depois ficar realinhando com a parte detrás do pente.

Após o alisamento, deve-se usar o neutralizante, que neutraliza a ação do produto, fixa a nova forma e ajuda a reconstruir as pontes que foram quebradas. Normalmente se usa peróxido de hidrogênio nesse produto, por isso ele quase sempre vai ter cheiro de água oxigenada.

Os alisante com sais metálicos se dividem ainda em duas categorias: os "com soda" e os "sem soda".

COM SODA - utilizam hidróxido de sódio (a queridinha soda cáustica) ou de potássio. Estas ainda se dividem em:
- de base: requerem que se aplique uma base de proteção no couro cabeludo antes do processo, pois possuem baixo teor de óleo e potencial irritante. Não é querendo assusta, mas causa queimaduras fortes devido ao ph muito elevado, hehe.
- sem base: devido ao alto teor de óleo, não se faz necessário aplicar a proteção no couro cabeludo.

SEM SODA - não apresentam as conhecidas sodas. Esta pode ser dividida em:
- sem mistura: utiliza normalmente hidróxido de lítio e também pode ser com ou sem base.
- com mistura: mistura-se uma base cremosa que contém hidróxido de cálcio e um ativador com carbonato de guanidina antes de se aplicar no cabelo. Também pode-se misturar iminouréia com hidróxido de magnésio. Quase sempre são formulados para uso sem base.

O alto ph do alisante a base de sais metálicos quebram as pontes iônicas (ligações médias), dando maleabilidade ao fio, permitindo o alisamento. Contudo, o ph muito alto quebra também as pontes de cistina, desse modo esse produto é bem mais agressivo. A neutralização restabelece o ph natural do cabelo, contudo reconstrói apenas as pontes iônicas e de forma ineficaz ainda por cima. Desse modo, nem todas as ligações médias são reconstruídas e as pontes de cistina ainda continuam quebradas.

O alisamento, dependendo do produto e da técnica, pode ser a química que mais agrida o cabelo. E não me refiro apenas aos sais metálicos.

O cabelo tem sua estrutura completamente modificada, é preciso  uma intensa reposição protéica. Não é só uma vez não, mas toda semana, senão é ir pra academia uma vez e achar que vai emagrecer. Se não for tratar, é melhor nem fazer o alisamento.

Existem produtos específicos para cabelo alisados, mas normalmente eles só acentuam o efeito liso, não são reconstrutores o suficiente. Obviamente, produtos a base de queratina sempre ajudam. O próprio Repositor de Massa Capilar e Queratina da Amend (o RMC azul) é uma ótima pedida. O fluído de reequilíbrio estrutural da Aquaflora e a máscara Nutrição Celular também são excelentes e com preços acessíveis. Mas se você for rica, usar o kit K-Pak da Joico ou a Age Recharge da Kerastase não leva ninguém pra o inferno! O mercado está atolado de bons produtos a preços medianos e até alguns que são baratinhos. Dá sim pra manter o cabelo saudável, eu passei metade da minha vida fazendo uma descoloração por semana e usando só produtos de perfumaria. Há pouco mais de um ano que comecei a investir em produtos profissionais, mas já usei muitos que não chegam aos pés da Amend e Acquaflora. A própria Absolut Repair foi dinheiro jogado no lixo. Até algumas receitas caseiras valem a pena. O importante é não descuidar do cabelo após o alisamento. Se sua intenção ao fazer a química era ficar bonita, vale lembrar que só vai funcionar se ficar tratando do fio.

Mas vamos deixar a manutenção para outra postagem.
Até a próxima.

5 comentários:

  1. Amend pra sempre no coração. <3

    Eu usava tioglicolato. Aliás, tanto o produto de alisamento, quanto os hidratantes e repositores que eu usava eram todos da Amend. E era bom e barato.

    Mas hoje eu não recomendo alisamento "japonês", "definitivo", "wtf" pra ninguém. Fica aquela coisa reta, sem graça. Pra essas pontinhas como na foto da Carla Perez, só se ajeitar com escova, prancha, baby liss (coisa que eu nunca tive paciência). Eu tinha uma técnica de amassar as pontas com reparador de pontas e até médio funcionava. Mas no dia que lavava não tinha jeito.

    ResponderExcluir
  2. Oi Bebê,se me permite corrigindo. Sais metálicos são os ativos a base de sais metalícos,cadimum cobre etc,geralmente a base de agua,como: rena,tablete Santo Antonio e por ai vai.As bases químicas temos a familia dos Hidróxido e os tioglicolatos de amônia.Se vc quizer vc manda um pendrive pela Aline que eu te mando um material muito bom sobre alisamento ok? Bjinho

    ResponderExcluir
  3. Olá Fátima, mando sim, quanto mais material, melhor!

    Eu me guiei pelo "O uso da tecnologia cosmética no trabalho do Profissional cabeleireiro" e dei uma lida em "Cabelo - Cuidados básicos, técnicas de corte, coloração e embelezamento."

    Eu queria me limitar apenas ao alisamento, por isso não citei henê e outras colorações a base de sais metálicos, pois pretendo fazer uma postagem exclusiva.

    Pelo que li, para saber se o alisante é a base de sais metálicos, ele precisa conter na fórmula um ou mais das seguintes substâncias:
    - hidróxido de sódio
    - // de cálcio
    - // de potássio
    - // de lítio
    - // de magnésio
    - // de gaunidina
    - Carbonato de Guanidina
    - Iminouréia

    Daí deduzi que tais produtos a base de cadimum, cobre, chumbo e talz, estão inclusos nas tinturas a base de sais metálicos, como o henê e alguns shampoos tonalizantes. Então os alisantes a base de sais metálicos não são justamentes os alisantes que estão inclusos na família dos hidróxidos (ou hidróxidos metálicos, como são chamados por alguns)?

    Beijos, saudades de tu.
    XD

    ResponderExcluir
  4. Muito bom M. Nunca esperei menos de você.

    ResponderExcluir
  5. Faz 10 anos, que aliso o meu cabelo com pasta fria a base de soda se ficar muito tempo no cabelo arde muito,mas o resultado é satisfatório.Depois de dois meses se não alisar o cabelo fica seco, e começa quebrar,e nunca chega ao comprimento desejado,eles alisam em cima do que já estava alisado.Resolvi mudar fui em um cabelereiro.e alisei só a raiz,ele me disse que eu tinha que esperar no minimo,6meses á um ano.Mas pedi que alisassse, fazia 5meses,ele fez teste e nõ caiu,mas fui avisada que nodecorrer poderia cair,tinha que fazer bqnho com queratina etc..Acontece que meu cabelo esta,com queda,mas não na raiz, só nas pontas cai bastante,o que deveo fazer,para parar a queda,continuo dando banho de queratina toda semana.Quando lavo não cai muito.

    ResponderExcluir